2 de jan de 2014

Resenha de Na Companhia das Estrelas

Autores: PETER HELLER
Título: Na Companhia das Estrelas
ISBN: 9788581632445
Selo: NOVO CONCEITO
Ano: 2013
Edição: 1/2013
Número de páginas: 408
Altura: 23 cm.
Largura: 16 cm.
Profundidade: 1 cm.
Acabamento: Brochura
Faixa Etária: a partir de 12 anos
Preço Sugerido: R$ 29.90
Área Principal: FICÇÃO
Assuntos: DISTOPIA | DRAMA


Sinopse: Em um mundo devastado pela doença, Hig conseguiu escapar à gripe que matou todo mundo que ele conhecia. Sua esposa e seus amigos estão mortos, e ele sobrevive no hangar de um pequeno aeroporto abandonado com seu cachorro, Jasper, e um único vizinho, que odeia a humanidade, ou o que restou dela.
Mas Hig não perde as esperanças. Enquanto sobrevoa a cidade em um avião dos anos 1950, ele sonha com a vida que poderia ter vivido não fosse pela fatalidade que dizimou todos que amava. Hig é um guerreiro sonhador. E tem uma imensa vontade de gente, apesar da desilusão que se abateu sobre ele. Por isso é capaz de arriscar todo seu futuro quando, um dia, o rádio de seu avião capta uma mensagem...
Voe com Hig e Jasper e se encante ao descobrir que um mundo melhor pode estar em cada um de nós.


Por Luciana M.


Hig sobrevive em um pequeno aeroporto com seu cachorro Jasper e seu vizinho Bangley, o cara certo para querer como vizinho num mundo onde não se pode dormir com segurança de que acordará no dia seguinte inteiro. Os dois convivem respeitando um o espaço do outro, Hig voa pelos arredores do aeroporto para verificar se o perímetro está seguro de invasores, visita uma fazenda habitada por pessoas contaminadas que conseguiram sobreviver ao vírus que acabou com o mundo que conhecemos. 
Hig também costuma sair para pescar e caçar com seu fiel cão, Jasper. 

Eu adoro distopias, comecei a ler com grandes expectativas, mas no começo do livro estranhei não ter os travessões dos diálogos, então demorei a me acostumar com a escrita do autor, acho que por isso demorei a engrenar a leitura no livro. Só senti que fui conquistada lá para a metade do livro, mas as vezes ainda não sabia separar o que era diálogo do que não era, do que era lembrança ou divagações. Aí tinha que reler o parágrafo para entender o que estava acontecendo, mas a história é bonita de ler.

O começo do livro é mais focado em lembranças, em coisas do cotidiano dele pós apocalíptico, depois quando ele começa a se mover para longe do aeroporto, a história fica mais ativa, e a vontade de saber o que vem nas próximas páginas vai aumentando. Não quero entrar em muitos detalhes porque estragaria a leitura, mas apesar do começo um pouco lento e confuso (no meu caso por falta dos travessões dos diálogos), é um livro que vale a pena ser lido. Só não gostei de não ter uma explicação melhor sobre o vírus, de onde veio, esse tipo de coisa, sou curiosa sobre esse tipo de coisa.



Avaliação

0 comentários:

Postar um comentário