23 de jan de 2012

Resenha : Necrópolis – A Fronteira da Alma



Esse livro quando eu descobri pela internet, não sei mais como porque faz algum tempo, fiquei super curiosa com a história. Como já disse em alguns posts o que me chama a atenção em um livro é o título e a capa. E vamos combinar. A capa está maravilhosa.  Era para ser lançado no dia 31/10 um dia depois do meu aniversário. Ainda brinquei com o Douglas que eu queria e a resposta: “Pede para quem te ama” rsrsrsr O único problema é que a pessoa que me ama não curte o gênero fantástico. Por isso eu mesma me dei rsrrs.


Fui no lançamento do livro na Martins Fontes, muitas pessoas queridas estavam por lá. Erick SamaErick NovelloWalter Tierno, amigos escritores do Douglas, amigos blogueiros – que agora são meus amigos também – vários convidados e o melhor público, imagino eu que seja, a família. Que apoiou inteiramente o sonho dele.
O autor contou um pouco sobre o livro, como surgiu a ideia de fazer essa história. Tudo começou com a neura de perder uma pessoa, que até então, não estava com ele desde sempre. O seu irmão caçula. Sim, com o nascimento de seu irmão, Douglas ficou com essa ideia na cabeça “e se”... e disso saiu Necrópolis. Vamos ao livro?
Douglas MCT criou um mundo surreal, onde, seres inimagináveis nasceram. Verne Vipero, um garoto italiano normal, apaixonado por sua amiga Arabella, tem um irmão Victor, mora em um orfanato e adora ouvir as histórias dos ciganos.
Verne ia para um local onde os ciganos, ou melhor, o cigano o Velho Saja contava histórias de fadas, 8 círculos, mundos que para todos nunca existiam. Mas ele e Mister Neagu, seu desafeto, iam sempre ouvi-las.
Verne, como eu disse, morava no orfanato, pois seus pais haviam morrido. Sua mãe ao dar a luz a Victor e seu pai de um acidente. Mas Sophie Lacet cuidava das crianças do orfanato como se fossem seus filhos.
Vipero tinha um amigo, o Ivo. Sempre saia com ele. Conversava, brincava, amava Arabella, sua colega do colégio, mas a garota não dava a mínima para ele. A vida não era perfeita, mas ainda era boa. Contudo seu irmão Victor e mais seis crianças saíram para brincar na Catedral.
As crianças tinham A.I. Amigos Imaginários. E adoravam brincar entre elas com um jogo de tabuleiro, testando as qualidades dos seus A.I.’s. O engraçado é que só os donos viam e ouviam . Victor e seus amigos tinham os seus. Verne também. Victor tinha o Grilo e Verne Chax. Mesmo Verne sendo mais velho ele ainda tinha o seu amigo.
Bom, uma desgraça assolou a cidade de Paradizo. Crianças morreram inexplicavelmente. Victor era um deles. Verne ficou desolado. Mas surge alguém que diz poder ajudá-lo. Elói Munyr. Ele vivia com os ciganos. Principalmente com o Velho Saja.
Explicou para Verne que todas as histórias são reais. Necrópolis era o destino que Verne tinha que tomar para ter o seu irmão de volta. Sim Victor havia morrido, mas ainda existia a possibilidade de salvar seu niyan e Verne foi para Necrópolis.
Muitos desafios. Muitas pessoas, ou seres, a se conhecer. Muito a descobrir. O único pedido que Elói fez a Verne era um passe. Elói foi mandado a Terra por ter feito algo em seu mundo, mas ele queria voltar e precisava do passe.
Verne assentiu. O que ele precisava era ter o irmão de volta. E foi isso que Verne fez. Uma semana para ter o resultado, não o esperado. Mas havia uma esperança. Victor não iria mais não existir. Ele esperaria por seu irmão!


Nota da Milena: Achei por ser uma história que terá 6 livros eu iria me enfurecer e querer comprá-lo só quando estivessem todos, como fiz com Harry Potter, mas felizmente eu me enganei. Bem, bem... o que dizer desse livro? Cenários perfeitos, descrições maravilhosas, consegui fazer um filme na minha mente durante a batalha. Soluções para questionamentos surgiram após a leitura, mas isso é spoiler e acho que ninguém precisa saber agora. Recomendo e espero que saia logo os livros, não aguentarei a ansiedade, tenho um defeito terrível. Não sou paciente rsrsrsrsr. Para quem curte RPG, acredito que seja basicamente igual, eu nunca joguei, mas acho se parece muito. Se eu estiver errada, por favor me corrijam. 


2 comentários:

  1. Curti.. gosto de livros assim (:

    ResponderExcluir
  2. Continuo sem interesse nenhum por esse livro. Apesar de parecer legal não é meu tipo de livro.
    Beijos ;*

    ResponderExcluir